Irmãs dos Pobres

de Santa Catarina de Sena​

A Irmã: torna-se e faz-se pelos pobres

     “Quando decidimos fazer parte das Irmãs dos Pobres, não pensamos em nos tornar grandes aos olhos dos outros, mas é o próprio Carisma que nos torna grandes, que nos dá algo mais, agregando-nos um valor, que simboliza a história pessoal de cada uma de nós, com toda a sua fragilidade e, às vezes, até mesmo com todas as suas deficiências” … Irmã Francisca, nos apresenta a pessoa da Irmã dos Pobres, nos conscientizando de quais são as suas características fundamentais. 

A fundadora, Madre Savina, encarnou a imagem de quem estava sempre disposta a ajudar os outros em seu momento de necessidade. Ela enxergou   espaços onde situações de necessidade estavam escondidas, e era  alí, que ela estava pronta para intervir, invertendo, o que ela se referia como tempo   da promoção humana. 

É, portanto, por essa razão que as Irmãs dos Pobres buscam, em suas diferentes missões, reviver o espírito carismático, através, não apenas da auto-doação, mas também através da oração e agindo como mediadoras, em favor do homem necessitado e sofredor. Como a Irmã Francisca nos explica é, precisamente, através da oração, que o homem pode ter contato puro, espontâneo e verdadeiro com o Senhor, visto que é Ele que renova e dá indicações diárias.

 

    As Irmãs não rezam para si mesmas, mas por aqueles que “têm razão para chorar” o que é, também, representado pela imagem de Jesus Sacerdote, constantemente comprometido, diante do Pai, para interceder pela humanidade. 

É com essa imagem que as Irmãs vivem o carisma do sacerdócio de Cristo, agarrando-se a ele, acolhendo as histórias dos homens, com suas ansiedades e trabalhos, apresentando-os ao Pai como Jesus se apresenta. O carisma se manifesta em cada época e período histórico, colocando suas coordenadas. 

É importante conhecer essa manifestação e intervir, buscando espaços para a promoção de cada pessoa que precisa ser ajudada. A vida das Irmãs dos Pobres de Santa Catarina de Sena é dedicada, justamente, a essa promoção, dando seu tempo, usando sua própria força e prestando atenção aos necessitados, oferecendo amor e alegria na gratuidade. 

De forma literal, a vocação das Irmãs dos Pobres é um conjunto de histórias belas e positivas, que surgem luminosas todos os dias, e que, de vez em quando, entram em contraste com realidades menos brilhantes, mas que, como nos diz a Irmã Francisca, são bem-vindas e acolhidas pelo Senhor, que transforma em tesouro o compromisso assumido.

                              Vittoria Masuzzo, Siena